CONTOS E LENDAS DE GAROPABA

Autora

Josiane Faraco da Luz

Escola

Centro Educacional Infantil Municipal Professora Maria das Graças Abreu dos Santos

Resumo

O presente projeto visa apresentar a construção do livro Contos e lendas de Garopaba, sob a perspectiva do olhar das crianças da Educação Infantil, com cinco anos de idade. O livro foi reescrito a partir de vivências com moradores locais que através das histórias contadas ensinaram aos pequenos a cultura do município, possibilitando a eles relacionar o passado e o presente. Durante a realização do projeto as crianças brincaram e exploraram os lugares que foram visitados, ampliaram a linguagem oral ao participar das escritas coletivas, desenvolveram coordenação motora ao realizar os registros utilizando materiais variados para a ilustração do livro.

Clique nas imagens para ampliá-las.

Justificativa

Em 2019, o Centro Educacional Infantil Municipal Professora Maria das Graças Abreu dos Santos trabalhava o terceiro subtema do projeto anual intitulado: Instituição, família e comunidade: trilhando nosso lugar, construindo saberes. Para levar o conhecimento aos pequenos, elegemos trabalhar os “Contos e lendas de Garopaba”, por serem gêneros textuais que mexem com a imaginação e a criatividade das crianças, possibilitando também conhecer e explorar alguns lugares, fazendo um parâmetro entre o passado e o presente. Inicialmente, o projeto pretendia fazer saídas de campo para ouvir algumas histórias de nossa cidade através da interação com alguns moradores de Garopaba. As propostas desenvolvidas passaram por todos os campos de experiências, elas tiveram a curiosidade instigada, fizeram questionamentos sobre os seres vivos e a natureza e fenômenos naturais, se aventuraram nas dunas e praia, descobrindo suas potencialidades corporais, manipularam materiais variados para os registros gráficos, ampliando a coordenação motora, perceberam a importância de ouvir e refletiram sobre suas falas ao participaram das escritas coletivas. Enfim, vivenciaram e experimentaram emoções como protagonistas dessa literatura.

 

Desenvolvimento

Durante alguns anos, a Secretaria Municipal de Educação de Garopaba trabalhou a valorização da cultura local, propondo às escolas o desenvolvimento de projetos que permitiam às crianças se apropriarem deste conhecimento. Em busca destes conhecimentos, a turma do pré-escolar, composta por vinte crianças com cinco anos de idade e uma professora, se propôs a conhecer um pouco do município de Garopaba através das histórias e das vivências com moradores locais; elas levavam todos a uma viagem ao mundo da imaginação. O projeto “Contos e Lendas” teve início a partir de uma conversa com o mascote Juca (boneco de pano que acompanha a turma durante o ano  letivo) que estimulou nas crianças a curiosidade em conhecer um conto que ele aprendeu com um morador de Garopaba.  Após a curiosidade incitada, foi o momento de combinar o dia em que iríamos fazer a visita ao morador Joaquim para ouvir o primeiro conto. A ansiedade era grande! Se aproximando do dia da saída de campo foi necessário sentar para marcar no calendário o dia da visita, sondar os conhecimentos prévios das crianças a respeito do trajeto que seria feito, observando no mapa turístico de Garopaba o caminho a ser percorrido até lá. Chega o grande dia e lá vamos nós! Ao chegar fomos recebidos pelo senhor Joaquim, mais conhecido por seu Cunha, que iniciou contando o conto O caneludo do casqueiro. Enquanto contava a história, o olhar das crianças era atento: primeiro o silêncio e depois a curiosidade de fazer perguntas, a alegria foi tão grande que não ficou só por esta e acabamos ouvindo outras histórias: “O lobisomem”, “Boitatá” e “A mulher de branco”. Ao fim das narrativas, fomos até a praia do Vigia para conhecer e observar a Pedra do Casqueiro.  Depois de explorar o ambiente e saciar um pouco mais da curiosidade das crianças, retornamos para a sala de aula e nos deparamos com um desafio: tínhamos mais de um conto para escrever e ilustrar. Em comum acordo, fizemos uma votação para escolher qual história seria a primeira a ser escrita e o conto do “Lobisomem” foi o ganhador. Antes dessa tarefa foram lidas diversas histórias para que pudessem perceber que elas não iniciam da mesma maneira. Posteriormente, sentados em roda, conversamos sobre a lenda/conto ouvidos, o que mais chamou a atenção de cada um e suas opiniões. Em seguida, as crianças foram estimuladas a responder algumas perguntas: Quais são as personagens da história? Onde tudo acontece? Era manhã, tarde ou noite? O que acontece com o personagem ou personagens? Como termina a história? Esses e outros questionamentos colaboraram na construção do texto.  Depois da lenda escrita, partimos para o registro gráfico, realizado com tinta guache. Essa mesma metodologia foi usada para escrita das lendas “Boitatá”, “A mulher de branco” e “O caneludo do casqueiro”, sendo que os registros gráficos foram diferentes para cada um. O mesmo processo aconteceu quando fomos ao bairro Areias de Macacu ouvir o conto “A galinha dos ovos de ouro”, contado pela moradora Josiane; e ao bairro Costa do Macacu ouvir o conto “A montanha encantada”. Alguns contos/lendas foram contados em nossa instituição, pois recebemos Andresa, que nos prestigiou com o conto “O roncador”; Fernando Bitencourt que nos ensinou o conto “A procissão dos mortos”; e Renan, que nos visitou para contar a lenda “A luzinha da chácara”.  A cada escrita realizada, foi visível a evolução da oralidade, riqueza de detalhes que as crianças traziam durante a construção do texto, o aproveitamento do tempo, a participação na contribuição das escritas, o interesse e a preocupação em saber se sua fala estava no texto ao pedir a professora que fizesse constantemente a leitura na medida em que a escrita acontecia.  Inicialmente a proposta era compilar os textos com registros gráficos e anexar às demais atividades. No entanto, durante os planejamentos, quando era feita a menção do trabalho, viu-se por alguns colegas, pela direção e coordenação a riqueza e surgiu a ideia de transformar este trabalho em uma bela e divertida obra literária, vindo ao encontro da prática de nossa instituição que já tem cinco livros lançados. Quando recebi uma mãe de aluna que relatou querer presentear as crianças, falei da sugestão do livro e aí se materializou o “CONTOS E LENDAS DE GAROPABA”, título este escolhido através de votação realizada pelas crianças. Para a produção do livro, foi necessário trabalhar outras informações com as crianças, por exemplo, apresentação das partes de um livro (capa, contracapa, prefácio, agradecimentos, autores e ilustradores), noções do trabalho de uma gráfica para que entendessem a grandeza que é produzir um livro e a importância da participação de cada um, sendo eles os autores e ilustradores dessa obra. O projeto foi finalizado com a apresentação do livro durante o 2° Aparadinho Literário que aconteceu no dia 11 de dezembro de 2019, em nossa instituição. Infelizmente, com a chegada da pandemia, não realizamos o lançamento oficial, mas esperamos que isso aconteça em breve.

 

Palavras-chave

Educação Infantil; cultura; vivências.